terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Avatar

Noticias da Brazil 135 Ultramarathon

Amigos(as), abaixo palavras do Comandante Mário Lacerda:


Olá Prezados Atletas,

ABSTRACT
Nesta Edição teremos o Provérbio-do-dia, seguido de três notícias sobre a Br135 de 2012. Finalizaremos com o momento histórico da sua presença no Pico-do-Gavião. O seu depoimento foi gravado e sua mensagem rodou o mundo....venha rever e matar as saudades.


1- Provérbio-do-dia
2- Brazil135 Ultramarathon de 2012
3- Você no  Pico-do-Gavião.

1- Provérbio-do-dia
"Ninguem se importa com o quanto que voce sabe, até que saiba o quanto que voce se importa com ele." 
Sheila Thurston...- Mãe do Jarom
Pois é cremos que devemos ter todo o cuidado do mundo com os outros.....que assim seja!!!!

2- Brazil135 Ultramarathon de 2012
   Hoje faz 1 mês da nossa corrida.......informo que:
a) Estou tratando as fotos para publicá-las ainda esta semana ou no máximo na próxima,
b) Estou preparando o Relatório Oficial de 2011,
c) Teremos mudanças em 2012....e para não ofuscar o brilho do item 3, falaremos sobre as mudanças em uma edição especial.

3- Você no  Pico-do-Gavião.
Venha ver como foi sua chegada no Pico-do-Gavião...foi tudo filmado e gravado, se veja e veja como foram os outros lá no pico.




Venha ver....está muito bom....divulguem com os seus amigos........

Me mande seus comentários.....é sempre bom saber o que você pensa.

Tenham todos uma boa noite,

nos vemos no Caminho

Comandante Mário Lacerda
Brazil 135 Ultramarathon
Race Director

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Experiências de um staff na BR135!

Obrigado, Comandante Mário Lacerda

Em meu primeiro post no blog (onde minha função será de escrever sobre lesões, orientações, recomendações, em suma sobre saúde e fisiologia do corpo em relação a esse esporte fascinante). Mas antes terei de relatar como foi essa minha vivencia toda como staff na BR, desde a quarta, quando cheguei a São João da Boa Vista até segunda quando retornamos ao Rio Grande do Sul.


Vamos lá, logo no primeiro dia em que cheguei à pousada em Águas da Prata, já aconteceu o primeiro fato engraçado, estava eu e a funcionaria e chega newtinho (imediato do capitão), e olha pra mim e larga “fala português”, (ri litros), só porque tenho olhos azuis e cara de gringo, segundo ele.


E assim foi se passando os dias, quinta pré-racer, onde conheci muitas pessoas especiais, que revi posteriormente durante a prova no posto de Inconfidentes, onde fui designado pelo comandante a trabalhar. Onde fiquei eu e o piloto Augusto e a equipe do resgate, durante toda a sexta e sábado. Esses dois dias foram pra mim os mais interessantes, pois ali tive a oportunidade de observar todo o esforço dos atletas, alguns que chegavam exaustos e ali paravam bastante tempo para descansar e outro que nem paravam, só passavam para marcar o tempo e continuavam, mas o que mais me marcou foram os atletas que ali em Inconfidentes desistiram da prova, uma decepção para o atleta, para sua equipe, mas com certeza a decisão certa a tomar para prevenir suas integridades físicas.


No domingo fomos para Paraisópolis, na chegada, momento emocionante, pois vi vários atletas, literalmente se arrastando para conseguir cruzar a linha de chegada, eu mesmo que dificilmente me emociono, em varias chegadas me emocionei.


Para terminar deixo aqui meus sinceros agradecimentos ao excelentíssimo comandante Mário Lacerda (pessoa excepcional) e sua esposa Eliana, por me oportunizarem essa grande experiência em que muito me foi gratificante. Ano que vem estamos novamente nessa loucura viciante.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Avatar

Bicicletas

Pois bem, eis que decidi aposentar minha bicicleta... esta que aparece na imagem ao lado. Após 18 anos de muitas pedaladas e tombaços ela irá receber a merecida aposentadoria e minha eterna gratidão.

Mas chegou a hora de encontrar uma nova companheira para os fins de semana. Nos meus tempos de piá era mais fácil, você entrava em uma loja e tinha duas opções: Caloi ou Monark. Tinha umas que vinham com fitinhas coloridas no guidão... outras com anéis coloridos nos raios... hehehehe...
outras vinham com o selim com o escudo do Grêmio ou do Inter, e contornando o selim tinha umas franjinhas de tecido... tudo muito chique.

Hoje é um festival de marcas diferentes, nacionais e importadas... sem falar nos componentes: há várias marcas diferentes para cada peça que compõe a bicicleta. Aliás, me sinto um véio dizendo "bicicleta"... agora tem que dizer "bike"... pois eu digo BICICLETA e ponto final.

Como não tenho tanta grana assim, levei um tempo decidindo se eu investia numa bicicleta com um ótimo quadro e componentes piores (mais baratos), ou em uma bicicleta com ótimos componentes mas com um quadro não tão bom (pelo menos não um das famosas marcas importadas).

Optei pela segunda opção. E a escolhida foi esta bicicleta abaixo: a SL 500 da Soul Cycles.
A bicicleta está encomendada e deve chegar na loja entre 1 a 2 semanas.
A Soul Cycles é uma nova marca brasileira, e está colocando no mercado bicicletas com componentes excelentes a um preço muito competitivo.


Clique no link abaixo e leia o restante do artigo:

Avatar

24 Horas de Santa Maria - 2011

 A 24Horas de Santa Maria, que é organizada pela UCRSM (União dos Corredores de Rua de Santa Maria) e que ocorre em Maio, já está com as inscrições encerradas. A lista de espera também já foi retirada do site e não é possível mais a inscrição para o evento. Um detalhe: estamos em Fevereiro.
  A procura por inscrições foi grande deste a abertura das mesmas ainda no ano passado, o que atingiu o limite de inscrições estabelecido pela organização de prova. Em breve estaremos divulgando maiores novidades do evento.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Avatar

Matéria da BR135 no IG Saúde

Segue link de acesso para a reportagem feita na BR135, pela repórter Yara do IG Saúde,
confiram o excelente trabalho e entenda um pouco mais sobre ultramaratona.

Matéria da BR no IG Saúde
Avatar

Dica de filme

Wayne, Lembranças de Fairbanks !!

Este filme foi recomendado por meu amigo Lazie..!!!
Confiram..depois comentem este post, para expressar vossas opiniões
se gostaram ou não..!!

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Avatar

Uma Super 50km e um encontro gratificante

Em 2008, eu estava hospedado em Rio Grande com meu amigo e companheiro de ultras e maratonas
Élton Drech de Caxias do Sul, ambos estaríamos correndo a Supermaratona 50km de Rio Grande, era
minha estréia na prova, e vinha de um ano de competições em 2007, muito pesado; estava um pouco
desanimado; talvez um pouco cansado, estava na Super pra curtir a diversão.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Avatar

Atenção com a carga

" É preciso manter a cabeça tranquila, focar só nas suas coisas, não nas coisas dos outros.
A preparação é suportar as cargas de treinamentos, nas semanas pesadas você vê o que consegue.
Não precisa de treinamento longo, você precisa estar preparado para aquilo. Aumentar a aptidão no treino.
Não adianta pôr carga se não consegue. O ritmo e a carga de treino é diferente para cada atleta, o que
cada um consegue é diferente. Tem que melhorar as marcas, as cargas".

Estas são palavras minhas? Não, mas concordo plenamente.
Esta lição de casa é do livro "Segredos de um ultramaratonista" do querido amigo
e ultra, multicampeão..Valmir Nunes. Quer saber mais sobre os segredos de um ultra..
adquira o livro, publicado pela Editora Hemus.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 -

Finalizo a edição deste humilde relato com a frase: “Tem coisas que só acontecem na BR.”

Parabéns a todos que fizeram desta prova a melhor prova de ultra que tive a oportunidade de viver, qualquer adjetivo que se acrescente ao que aconteceu durante os momentos de integração, desafio, emoção e confraternização nesta edição, não ficaria tão bem adequado do que o adjetivo: fantástico.

Para aqueles que não puderam ir ou não puderam acompanhar, perderam “ a prova!!!!”.

Bom depois de ensacar a viola, juntamente com meu sobrinho Rafael, voltamos para a serra gaúcha, com muitas estórias na bagagem para contar e orgulhosos de sermos personagens deste relato também.

Voltamos mais faceiros que mosca em tampa de xarope...!!

Qualquer contribuição para enriquecer ainda mais o relato desta BR, favor enviar para nós o texto, que prontamente publicaremos neste espaço, com os devidos créditos de quem os enviar.

Abraço pessoal, deste ultra que vos escreve, que um dia vai morrer e ainda assim, não vai ter visto de tudo..kkkkkkkk
Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - Fatos da BR

Muita coisa conteceu na BR, muitos acontecimentos ficaram na memória de todos que participaram, eu vou citar alguns muito interessantes que merecem destaque :

A vitória do 1º campeão estrangeiro da BR, Kurt Lyndermuller merece todos os créditos pela conquista, juntamente com sua esposa Rebeca, que pasmem, sozinha, se deslocou de ponto a ponto, prestando apoio ao Kurt, em boa parte da competição, liderando e não deixando na mão em momento algum o grande campeão da prova. Literalmente é de tirar o chapéu..parabéns ao casal, foram excelentes, título legítimo e indiscutível com o tempo de 28 horas e 19 minutos.

Na foto: Fabrício, Newton, Rebeca, Kurt, Cleonir e André
Maria Rita, até agora não entendi muito bem aquela pedra que você carregava na mochila durante a prova, quase meio quilo de pedra para carregar durante a prova...aguardo explicação..até agora não encontrei...creio que era pra dificultar as coisas um pouco..ninguém pediu que a BR fosse fácil..não é mesmo !!! eheheheheheheh

O acontecimento pra ficar no almanaque da BR, foi a necessidade fisiológica de 30 reais, esta foi pra ficar registrado literalmente nos arquivos da Brazil 135, alguém fez isso um dia na BR ...acreditem..é verídico..pagou-se 30 conto pra fazer m.... kkkkkkkkkkkkkkkk só faltou sair na notinha do cartão de crédito...kkkkkk seria pra colar na medalha...kkkkkkkkkk depois disso o rapaz ganhou o carinhoso apelido de “cagão” kkkkkkkkkkkkkkk

E pra fechar com chave de ouro a BR, o casamento do Ariovaldo e Sônia na cerimônia de encerramento da BR, teve arroz, padre, aliança e tudo que tinha direito. Muitos creditam o casamento aos efeitos do calor na cabeça durante a prova..kkkkkkkkkkk mas a verdade é que todos desejamos muitas felicidades ao casal. Ah..Ariovaldo chegou em 2º lugar e correu parte da prova de chinelo..

E o Ligeirinho...o homem desmaia 3 vezes durante a prova e ainda chega em 3º lugar..rapaz..vou criar uma comunidade no orkut...Ligeirinho é o cara...kkkkkkkkkkkk

Ainda teve uma suposta discussão acalorada por causa da preferência em um banheiro pelo percurso durante a quente disputa do revezamento, envolvidos enviem email para nós, para contar o que aconteceu...só sei que a moita estava disputada...kkkkkkkkkkk
Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - De Consolação até a chegada

Todo mundo que estava na prova, estava partindo de Estiva pra Consolação, a linha de chegada estava cada vez mais próxima, daquele momento em diante, era pura emoção, palavras de apoio, de motivação e tudo era um filme em minha cabeça. A surpresa, foi encontrar José Alcântara em Estiva, ele tinha abandonado naquele ponto a prova; e de tão cansado que estava, esqueci de agradecer por tudo que o amigo tinha feito por mim na prova; então vai aqui neste texto, meu sincero muito obrigado...nobre amigo.


Eu observava tudo durante a prova e pude com isso aprender muito, sem dúvida aprendi e cresci como atleta e como ser humano, nesta edição da BR.

Comi um prato de comida acompanhado de uma gostosa salada na Pousada da Dona Elza em Consolação, aguardando a chegada dos atletas neste ponto, cada vez mais cansados e emocionados. Foi neste povoado que encontrei Eliana e Mário, e o Fabrício novamente estava lá...este guri é fantástico.

Tudo se deslocava para a chegada e assim foi, partimos para a chegada, onde pude me acomodar no hotel e tomar um banho revigorante antes da chegada dos atletas que estavam na última trilha.

Tomei o banho e desci, e assim pude conferir as chegadas da atleta argentina Susana Segurel, do Alberto e do João Gabbardo, pude conferir a Maria Rita, a Fabíola..muito emocionada juntamente com toda equipe de apoio, Vanderval, e Miguel e pra fechar a festa a chegada do Erisvaldo Paulino quase encima da hora com 59 horas e cinquenta e tantos minutos...acompanhado de seu fiel escudeiro Hummel.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - É preciso superação

Durante estes 5 últimos povoados, pude perceber o quanto representa completar uma Brazil 135, e se com um tempo bom, o quanto é valiosa esta conquista. Acompanhando atletas muito experientes, como: Susana, Gonzalo, Alberto, João Gabbardo, Vanderval, Miguele outros, pude ter a real noção do tamanho dos feitos que tive a felicidade de concretizar nas duas edições anteriores. Saber que o atleta tem um trecho de 20km pela frente e ter a perspectiva de superá-lo em aproximadamente 5 horas, uma média de 4km por hora, nos dá a perfeita ciência do estado físico de cada um e do tamanho da força de vontade em superar seus próprios limites. Tudo isso tendo que conviver com bolhas nos pés, dores musculares, sonolência, cansaço, alucinações, tonturas enfim...quem já disputou uma BR e concluiu sabe bem o que estou descrevendo. Em 2009 eu saí de Estiva para Consolação vendo os globos de luz das lanternas noturnas, durante o dia, esfregava os olhos para ver se ajudava, piscava, mas abria os olhos e lá estavam novamente, algo incrível.

Naquela edição em que iniciei minha participação em Brs, terminei em 40 horas e 56 minutos, abraçado com o Garry Johnson, e agradeci muito a Deus por isso, porque andando lado a lado o zigue-zague pela estrada diminuiu bastante, batíamos ombro com ombro no meio da estrada e seguíamos a frente...(brincadeirinha kkkk...mas estávamos mais ou menos assim..não foi a toa que Garry foi parar na UTI naquele ano, até hoje me pergunto como eu não fui também...sei que depois da chegada, só fui acordar as 14 horas do outro dia, foram umas 12 horas de sono direto).
Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - No meio do caminho surgiu uma moto

Em Tocos, todos os atletas estavam chegando muito debilitados, e foi neste povoado que encontrei o trio americano, Jarom, Antony e Peter que iniciaram sua BR, apartir de Tambaú, isso mesmo, eu não estou ficando louco..não..já tinham rodado uns 300km mais ou menos e estavam na luta.


Maria Rita seguiu pra Estiva, tendo como pacer meu querido amigo William e eu e Rafael guiamos o carro até Estiva, onde pudemos descansar até quase amanhecer, porque aquele trecho deixou muitos atletas quase sem força para a sequência da prova.

Naquele local recebi a notícia do atropelamento de moto, que atingiu meu querido amigo Gerson e o tirou da prova, a Carla seguiu até o final, conquistando o 4º lugar nas duplas. Como a prova de revezamento ocorre em um ritmo muito elevado, tudo se desenrola rapidamente e todo percurso é concluído em pouco mais de 24 horas, não tive como acompanhar o que rolou, tudo que tive e tenho foram informações desencontradas do que aconteceu durante a prova. Sei que Peter e Reinaldo Tubarão, conquistaram a vitória seguidos de perto pelo Éber e outro garoto que formou dupla com ele.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Ser atleta requer equilibrio

Oi Cleonir, analisando seus relatos e outros relatos de atletas, ou até mesmo me analisando pude observar , que é conveniente afirmar que o atleta passa por varias fases, e nem sempre estamos preparados quando deparamos com uma delas, que classifico como o "self", ou seja, o ponto de equilibrio! Iniciei minha experiencia com ciclismo aos 22 anos.... tinha bastante disposição, adorava vencer desafios, ganhar medalhas,ser a melhor da competição, ser o centro das atenções,enfim, estar em evidencia. Com isso, deixava de observar meu comportamento tão competitivo e muitas vezes inconsequente..... deixava de observar as trilhas por onde passava, as pessoas, os costumes. O tempo foi passando e eu continuava com a mesma atitude! Um belo dia sofri uma indisposição ,isso há mais ou menos 1 ano atras.....fiz varios exames e descobri que estava doente!!! Nossa, que choque!!!! Parecia que o mundo ia acabar pra mim!!!! Tudo estava indo tão bem....... treino"perfeito", novo relacionamento (quepor sinal é atual hoje)..... tudo por agua abaixo!!! Bom, por minha sorte, naquele momento encontrei meu anjo da guarda!!!! O Laz!!!! Conversando sobre a questao da doença, ele me fez uma pergunta: " Você já parou pra obsevar, as flores, arvores, animais por onde você passa? " Por que compete tanto? Quer provar o que pra quem?" A partir desse momento, comecei a encarar o esporte, como algo saudavel e construtivo na vida.Estou vivendo a fase de aceitação dos meus limites, e isso não quer dizer que não sou mais vencedora ou competitiva, sou atleta que pensa,raciocina e cria estrategias, usando a sabedoria da experiencia e não a força fisica. Escrevo esse depoimento porque achei sua atitude de respeitar seus limites de enorme coragem e integridade. Parabéns!!!!! Deus te abençoe nos seus caminhos
Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - Borda da Mata à Tocos, a capinha do Batman

Durante o percurso de Inconfidentes a Borda da Mata, todos os atletas que estavam neste trecho perto do meio dia, sofreram muito com o calor e com as longas subidas e descidas. Na praça de Borda da Mata eu e William pudemos descansar um pouco nas sombras das árvores, onde deitamos um pouco, porque nosso cálculo era que a atleta Maria Rita, chegasse naquele ponto somente 5 horas depois da hora de saída de Inconfidentes, e isso realmente aconteceu. Em Borda da Mata, Maria Rita fez uma parada estratégica para um banho na casa dos pais do Glauber que gentilmente cedeu sua casa para este recurso. Fico muito agradecido ao Glauber a seus pais, os momentos que passamos em sua residência, tomamos um delicioso café com pão e manteiga, uma delícia; estes momentos foram compartilhados com a atleta australiana que acabou abandonando a prova com uma lesão no joelho.

Neste momento Gonzalo e seu pacer Ítalo, se arrumavam nas proximidades da praça para iniciar o deslocamento para a cidade de Tocos do Moji. Para muitos, é apenas mais um povoado desconhecido, mas pasmem, tem rede wireless liberada nas ruas da cidade, algo fantástico.

Uma peculiaridade do local são as maritacas, que tomam conta das palmeiras da praça da cidade, durante o entardecer, fazendo um barulho ensurdecedor, mas com o escurecer tudo se acalma e o silêncio novamente toma conta do local; um chafariz muito bonito realça o lugar, excelente ponto de apoio da prova.

Neste ponto encontrei o Rafael novamente, juntamente com Mário Lacerda, Niltinho, Ari, Roseli, uma galera do staff, a prova se direcionava para o fim.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Nossas Limitações

A vitória do atleta começa a partir do momento que tem noção corporal e respeita suas limitações físicas e psíquicas.
Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - Uma prova fantástica

Mas e aí o relato termina aqui? Não.


Quando amanheceu em Inconfidentes, estava muito bem e fui até a mesa do staff, para saber como as coisas estavam se desenrolando, porque das duas da manhã até amanhecer, fiquei completamente desligado da prova. As notícias eram surpreendentes; Juvam Palmeira tinha saído da prova por problema médico, Adão Miranda tinha abandonado também, e Kurt Lyndermuller tinha assumido a liderança da prova.

Tudo estava indefinido. Nosso bicampeão da prova, tinha desmaiado por duas vezes até aquele momento, Ray Sanchés vinha lutando contra um desconforto estomacal desde Andradas e tinha se recuperado, mesmo fato ocorrido com Daniel Mayer e Agnaldo Sampaio. A Débora seguia firme, mesma situação do Áureo, que tem profundo conhecimento da BR, conhece muito bem os melindres do percurso. Esta era a prova que se desenhava.

Com a chegada do ultra William Wiltgen que estava realizando o apoio da Maria Rita, tive a oportunidade de seguir de carro com ele, até Borda da Mata, pois serviria de muita ajuda meu conhecimento da região, em função das duas edições que havia disputado em anos anteriores.
 
Antes de sairmos de Inconfidentes, pude presenciar a luta e a garra da Susana Segurel, ultra argentina que estava na luta para chegar, e outros atletas guerreiros que chegavam ao checkpoint de inconfidentes a cada momento. Ainda estava lá quando chegaram Alberto Peixoto e João Gabbardo dos Reis, naquele momento único gaúcho na prova, em razão do meu abandono e também pude presenciar a chegada da atleta Fabíola, que chegou naquele ponto muito bem. Outros atletas já estavam descansando naquele local, o caso do argentino Gonzalo Frias e Vanderval que almoçou tranquilamente antes de seguir na prova. Com uma equipe de apoio muito boa e bem equipada, Miguel D`avila vinha realizando uma BR de forma segura e controlada, a gurizada trabalhou de forma muito serena, o potencial desta equipe de apoio é muito grande, acompanhei de perto e dou total aval em relação a organização desta galera, são muito bons.
Avatar

Mudanças no Blog

Ufa!!
finalmente terminamos a manutenção do Blog. Esperamos que gostem deste novo formato.
Aproveito aqui o espaço para sugerir a vocês a leitura dos artigos que o Cleonir está publicando, sobre a BR135 que ocorreu agora em Janeiro.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - Uma decisão lúcida e correta

O fato de desistir em meio a uma prova de ultra era algo que eu imaginava ser um momento muito difícil para mim, sempre fui um atleta muito competitivo, lúcido mas tomado de um brio que as vezes me leva pra grandes resultados e as vezes me deixam em batalhas penosas ao extremo; que exigem mais que técnica e ritmo, fazendo com que eu tenha que buscar forças não sei de onde pra seguir na prova. Sempre me considerei um ultra atleta comum, sempre larguei em todas as provas, meio que de sangue doce, mas sou um cara de chegada, minha regularidade me propicia em certas provas brigar por uma colocação boa, foi assim em 2009 na BR, onde saí com um 16º lugar e em 2010 com um 14º lugar marcando 37 horas e 56 minutos. Agora, consigo ter a visualização do que representa cruzar a linha de chegada da BR, caiu a ficha neste ano somente...a opção de parar foi muito natural, até fiquei surpreso comigo mesmo.

Estou conseguindo conviver com este fato de forma muito tranquila, esta decisão tem um peso muito importante, ter o respeito dos colegas de ultra, pela maturidade com que tomei esta decisão, por não causar um problema maior ficando pelo caminho e transferindo a responsabilidade de uma situação clínica mais grave para a organização de prova e também pela certeza que minha esposa e filhos têm em saber que eu jamais colocaria em risco minha integridade física, estando em competição e em prolongado tempo sem comunicação com as pessoas que amo tanto. Tudo isso, dá a credencial de que meus amigos que acompanham meu treinamento e este que vos escreve, estamos trabalhando no caminho certo, praticando um esporte de alto risco, de forma prudente e segura.

Cada atleta necessita pesar bem os fatores que o levam adiante, é preciso saber a hora de parar, graças a Deus, sempre tive a consciência de que limites foram criados para ser superados, e quando o limite é superado, cada faixa acima do limite, toma proporções delicadas, quando o limite se torna loucura, as chances de uma glória se transformar em tragédia são maiores; cabe a cada ultra decidir onde se quer chegar e como se quer sair de uma prova, feliz da vida ou de ambulância. Sinceramente, eu prefiro sair feliz da vida, mesmo que isso represente ficar distante da medalha.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - Amizade e fair play

Acompanhando o carro de apoio do José, segui até Inconfidentes, onde pude dormir na pousada e me recuperar, fiquei todo dolorido e tive um pouco de febre durante o dia, mas creio que tenha sido um inicio de algum processo inflamatório desencadeado no organismo em razão do desgaste. Durante o trecho que andei junto com o José, ele recordou o episódio em que no ano de 2010, nos subtemos em um verdadeiro toró de água no trecho de Inconfidentes a Borda da Mata, onde estávamos juntos, acompanhados do atleta boliviano Iso Yucra, passamos momentos difíceis naquele trecho e ele me agradeceu muito, a chuva era tanta que ambos ficamos sem as lanternas que se apagaram com a chuva. Importante destacar que as lanternas que estávamos utilizando são top de linha e não aguentaram a pressão. O que nos salvou foram as lanternas de bastão (luminosidade líquida). Este ano ele me ajudou, e me socorreu com seu carro; assim é a BR, atitudes e gestos de fair play que ficam para a vida toda, assim como a amizade que se construiu em meio a estas dificuldades; sou muito grato a você..querido amigo.
Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - Uma ameaça silenciosa

O caminho de Andradas até Serra dos Limas, na minha opinião é a parte do percurso, mais gostosa de correr em toda a BR, em condições normais o ultra chega neste trecho, próximo do final da tarde, onde a temperatura é amena e a beleza da paisagem das propriedades rurais, torna muito agradável a superação deste trecho. Fiz a lição de casa, chegar em Serra dos Limas ainda durante o dia, correndo em ritmo regular, sem dores, um pouco cansado; mas isso é natural depois do sol escaldante que ficamos expostos durante o dia. No checkpoint de Serra dos Limas, minha urina estava clara, sem problemas, porém o susto maior foi quando eu subi na balança e foi constatado uma perda de aproximadamente 4kg. A perda do peso me assustou um pouco, não percebi e não senti esta perda, estava realizando a alimentação e a hidratação de forma regular e controlada, o desgaste estava sendo maior que a reposição que eu fornecia para o organismo. Sendo prudente com a situação, comi uma boa quantia de macarrão, tomei um refrigerante e descansei por 20 minutos. Como estava com a roupa toda suada e logo cairia a noite, troquei a roupa, vesti uma calça e outra camiseta e segui adiante, acompanhado do amigo José Alcântara.


Saímos de Serra dos Limas ainda com luminosidade natural, mas já equipados com lanternas de cabeça e vestindo o colete de sinalização, com destino ao povoado de Barra onde encontraríamos meu querido amigo Fabrício, do staff da BR. Neste trecho seguimos caminhando, porque esta parte da prova é bastante acidentada e com subidas e descidas íngremes; o que exige muita força muscular de coxas e panturilhas. Durante este trecho, comecei a sentir um desconforto em relação a urina, comecei a sentir vontade de urinar a cada pouco e não tinha urina. Esta constatação começou a me preocupar, logo depois do povoado de Barra, fizemos uma pequena parada logo depois de um riacho e minha situação começou a se complicar quando a musculatura da frontal da canela fechou, se contraindo de forma muito estranha, algo que nunca tinha acontecido comigo, e surgindo uma dor nas costas, na altura dos rins. Neste trecho fomos alcançados pelo amigo Mauro Chasilew. Quando nos aproximamos de Crisólia, fomos alcançados pelo atleta Daniel Mayer e também por Ray Sanchés que passaram em um ritmo bem interessante.

Quando cheguei em Crisólia, reavaliei minha situação física, e por motivo de segurança, optei por abandonar a prova em definitivo; poderia anotar meu tempo em Crisólia, aguardar uma possível melhora e depois seguir na competição, mas seria uma tentativa complicada. Aproveitando o carro do meu querido amigo José Alcântara, comuniquei o staff em Crisólia, ponto que era controlado pela Rita, que me orientou a comunicar o staff em Inconfidentes também, visto que estavam sem comunicação de celular naquele momento.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - A descida do Pico do Gavião

A descida do Pico é muito boa de correr, e neste ano depois de ter feito minha alimentação lá no topo, o corpo teve o tempo adequado para se adaptar a altitude, segui adiante no percurso passando pelo desvio lateral do riachinho e ganhando a estrada que vai para Andradas, cruzando pela Pousada Pico do Gavião.


Neste trecho eu segui acompanhado do José Alcantara e de seu irmão que corria como pacer, e assim fomos desenvolvendo um ritmo bom, ora fazendo a hidratação, ora comendo uma fruta, enfim...tudo que nós ultras sabemos bem que é necessário e regra básica da ultramaratona. Um pouco antes de entrar a direita na estrada de longas descidas íngremes que leva à cidade de Andradas, eu estava sozinho novamente, visto que José e Eleir optaram por ficar alguns minutos a mais na última parada e eu andei para realizar minha alimentação na cidade, onde poderia comprar comida.

Cheguei em Andradas bem, anotei meu tempo, fotografamos minha estaca balizando meu pit stop e fui comprar algo gelado para hidratar. Comprei um pote de sorvete e apreveitei esta delícia debaixo de uma sombra muito agradável da praça de Andradas, lá encontrei Mário e Joceli que estavam trabalhando neste checkpoint.

Neste ponto, logo depois que eu cheguei..chegaram Adilson Ligeirinho, Luciano, Raymond Sanches, Eleir e José, que depois seguiria comigo até a saída de Andradas, onde fez uma parada para drenar uma bolha no pé que estava atrapalhando no desenvolvimento do ritmo de corrida.
Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - O Inicio da prova

Larguei muito tranquilo, segui trotando pelas ruas da cidade até firmar passo com o ultra José Alcântara, até o ponto onde os carros se acumularam antes de entrar na estradinha de chão, onde nos separamos, segui a frente com o ultra Mauro Chasilew, e o espanhol Joan Villa até mais uma parte do percurso, e assim logo alcancei o ultra Eleir, carioca de Macaé, e seguimos juntos até praticamente o final da subida, onde alcançamos um grupo de 3 atletas, João, Débora e mais um garoto que não consigo lembrar o nome(kkkkkkkkk)...desbravando a descida que leva até Águas da Prata entre os cafezais da região, fomos correndo e procurando refrescar o corpo, neste momento a temperatura já estava acima dos 30 graus.

Passei por Águas da Prata, onde encontrei o Éber que me alcançou dois copos de água e iniciei a subida que segue para o Pico do Gavião. Este trecho se parecia tão curto, em minha memória, mas não é tão curto assim não, tem uma distância considerável da cidade até o pé do Pico. Andando por este trecho, tive a companhia da Débora e do Eleir em certos momentos, caminhava nas subidas, trotava nas descidas e partes planas e aos poucos chegamos no Pico do Gavião. Subi caminhando..decidido a fazer minha primeira parada para alimentação mais adequada, no topo do pico, e agora, tenho a certeza de que foi a decisão mais certa que tomei, o lanche foi simples porém o visual é bonito demais...

Encontrei novamente o José Alcantara e seu irmão quase no topo, e meu querido amigo Café..lá no topo anotando os tempos dos atletas, e neste ano...uma novidade, a foto no alto do Pico do Gavião..ponto para a BR. Outros fatos interessantes aconteceram lá no Pico do Gavião...coisas que só a amizade entende.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - A emoção da largada

Na sexta-feira, dia 21 as 7 horas da manhã iniciava a concentração dos atletas na praça de São João da Boa Vista, e naquela noite, as estrelas dominaram o céu da cidade, não choveu, e isso era muito bom. Ninguém imaginaria o calor escaldante que se anunciava para toda BR. Todos os atletas estavam preparados para a tão esperada largada. O café da manhã do hotel é o ponto de encontro de vários ultras que rapidamente se alimentam e se apresentam no local de largada juntamente com suas equipes de apoio.


Os minutos que faltam para o inicio da prova, são de uma adrenalina impressionante, muitos abraços, fotos, hino nacional e então, inicia-se a contagem regressiva...9..8..7..6..5...4...3...2...1...e lá vão as pessoas simples capazes de feitos extraordinários, seguindo pelo caminho asfaltado da cidade até sumir na trilha de montanha em meio as árvores e campos.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - O inicio da jornada

A edição da Brazil 135 deste ano, foi de arrepiar. A emoção esteve presente desde a chegada a São João da Boa Vista até o final da prova no café da manhã de despedida em Paraisópolis na segunda-feira dia 24.

Quando cheguei em São João com meu sobrinho e fisioterapeuta Rafael, a chuva nos acompanhava, uma forte pancada no fim da tarde nos de as boas vindas. Me dirigi até o hotel onde tinha feito reserva, quase no centro da cidade, muito perto da largada da BR; enquanto isso, Rafael se deslocava para a Pousada do Peregrino em Águas da Prata para se apresentar ao grupo de voluntários que dão o brilho todo especial atuando na organização da prova, formando esta equipe maravilhosa do staff da BR135, neste ano utilizando camisetas vermelhas. (como brincou a Eliana..”moranguinhos da BR”...ehehehehehe)

Avatar

Arrowhead 2011 - Resultados Bike & Run

Confira os resultados desta importante prova no link abaixo:

http://www.arrowheadultra.com/index.php/results/2011-results

Parabéns aos atletas que enfrentaram esta prova gelada.
Avatar

Resultado da Brazil 135 - 2011

Confira no link abaixo, o resultado final da Brazil 135 - 2011, com parciais dos tempos nos checkpoints descritos de forma detalhada:

http://www.brazil135.com.br/clasifsolo.htm

Parabéns a todos que enfrentaram esta dura e emocionante prova, este ano a prova foi espetacular.