quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Avatar

Relato da Brazil135 - 2011 - É preciso superação

Durante estes 5 últimos povoados, pude perceber o quanto representa completar uma Brazil 135, e se com um tempo bom, o quanto é valiosa esta conquista. Acompanhando atletas muito experientes, como: Susana, Gonzalo, Alberto, João Gabbardo, Vanderval, Miguele outros, pude ter a real noção do tamanho dos feitos que tive a felicidade de concretizar nas duas edições anteriores. Saber que o atleta tem um trecho de 20km pela frente e ter a perspectiva de superá-lo em aproximadamente 5 horas, uma média de 4km por hora, nos dá a perfeita ciência do estado físico de cada um e do tamanho da força de vontade em superar seus próprios limites. Tudo isso tendo que conviver com bolhas nos pés, dores musculares, sonolência, cansaço, alucinações, tonturas enfim...quem já disputou uma BR e concluiu sabe bem o que estou descrevendo. Em 2009 eu saí de Estiva para Consolação vendo os globos de luz das lanternas noturnas, durante o dia, esfregava os olhos para ver se ajudava, piscava, mas abria os olhos e lá estavam novamente, algo incrível.

Naquela edição em que iniciei minha participação em Brs, terminei em 40 horas e 56 minutos, abraçado com o Garry Johnson, e agradeci muito a Deus por isso, porque andando lado a lado o zigue-zague pela estrada diminuiu bastante, batíamos ombro com ombro no meio da estrada e seguíamos a frente...(brincadeirinha kkkk...mas estávamos mais ou menos assim..não foi a toa que Garry foi parar na UTI naquele ano, até hoje me pergunto como eu não fui também...sei que depois da chegada, só fui acordar as 14 horas do outro dia, foram umas 12 horas de sono direto).

0 comentários: