sábado, 30 de julho de 2011

Avatar

Um ultra Bicampeonato

   Depois de uma semana lotada de compromissos profissionais, tive a oportunidade de passar a tarde de sábado com minha esposa e meus filhos, acompanhando-a no torneio de vôlei feminino do Sesi Farroupilha. Há momentos na vida que temos oportunidades muito boas de valorizar o que Deus nos deu e nos possibilita todos os dias. O que eu, um ultramaratonista de duas BR135 completas e uma pela metade, pode tirar de bom de um torneio de vôlei?
   Pois bem, responderei de forma clara e muito consciente. Durante o ano passado e durante este ano, pude acompanhar a preparação e alguns treinos das gurias, quando de minhas folgas, podia ver de perto todas as atividades desenvolvidas pelo time, comandadas pelo treinador Alessandro(Melancia). Hoje, na segunda participação no torneio, eu e meu filho, chegamos anotar os pontos individuais e erros cometidos individualmente durante as partidas do time na competição; se vai servir para alguma coisa, não sei, anotamos.
   Porém, não quero entrar nos dados estatísticos, ponto aqui, ponto lá, erro aqui....erro acolá....seria muito injusto. Tem uma estatística muito maior para ser considerada em toda esta jornada de 2 anos do time e a conquista do Bicampeonato. Ninguém se dá conta que estas mulheres, em sua maioria, são mães, donas de casa, que trabalham mais um turno em empresa pra contribuir no lar, que treinam mesmo cansadas, as vezes ficam exaustas, passam por cima de lesões, dores, preocupações de todos os tipos e tamanhos, lutam, brincam, se esforçam o máximo que podem e hoje colhem o fruto disso tudo e mais um pouco.
   Então, como dimensionar uma vitória destas? É impossível. Ver um grupo grande como é o time da Anselmi, participar da forma que participou, nos apresenta alguns valores muito importantes que precisam ser destacados. Cada atleta que esteve no Parque Cinquentenário hoje, deu sua contribuição, mesmo que não entrou em quadra, foi uma opção do treinador e é preciso respeitar, quem não jogou, precisa ser valorizada pelas colegas, pois contribuiu muito durante o semestre, para que o treinamento chegasse no nível de qualidade que se esperava. Tem aspectos técnicos pra acertar? Claro que tem...eu tenho..todos atletas tem...só não podemos cobrar estas guerreiras, pra que elas apresentem um voleibol igual ao da seleção...a realidade é outra...crescemos com a cultura de que nunca está bom...sempre tá ruim...em todas as atividades, seja na escola, na empresa, no time ...enfim...a cobrança e a crítica é sempre a primeira que aparece.
   Penso que é o momento de falar de tudo que aconteceu de bom; as colegas de time lesionadas, que mesmo assim foram para o banco de reservas, pra dar apoio para as colegas que foram para o jogo; os familiares que foram assistir os jogos, a equipe de jogadoras; (muito importante destacar isso, porque ter um grupo, nem sempre é ter uma equipe, equipe joga para o time, o todo é o mais importante, e neste sábado ficou claro, que não tem "estrelinha" no time e nem tem espaço pra isso); a presença do Chiele que cuida o ginásio do Pio X, onde são realizados os treinos ( largou a atividade dele, pra acompanhar o torneio ), enfim...dá pra fazer uma lista.
   Fica a lição, que os homens se queixam demais, e não tem um que vai discordar de mim, é preciso tirar o chapéu pra estas gurias, porque roeram um osso dos mais duros e colocaram a mão na taça pela segunda vez. Sei que mudanças, algum dia vai acontecer, no elenco, nos horários de treino, enfim, algumas jogadoras vão trocar de empresa, isso o futuro vai dizer e entendo que é um processo natural, por mais difícil que isso seja para as gurias, pela convivência de longo tempo. Destaco o que sempre preservei em tudo que tive a felicidade de integrar no esporte, o trabalho de equipe; as amizades, a união, a dedicação (treina 2 anos, 4 horas por semana, para ver se é fácil!!!)o estudo tático, a melhoria técnica (quando existe qualidade, há evolução e o time apresentou qualidade) personalidade, amadurecimento e muitos outros valores que nos aproxima da vitória. Ninguém coloca troféu na prateleira por sorte, principalmente em esporte coletivo.
    Fica o incentivo para as gurias da Tramontina e da Trombini, para que continuem jogando, treinando, partcipando das competições, pois o foco é integrar, se reunir, se divertir. Parabéns pela iniciativa de estar no torneio. Para a mulherada das outras empresas, principalmente as maiores, que dispõe de grande número de funcionários, que procurem se organizar melhor e sintam-se intimadas a participar do torneio nas próximas edições, para que o torneio seja ainda melhor.
   Parabéns para as gurias da Anselmi, e minha esposa faz parte disso tudo, pelo Bi !! Eu estou orgulhoso e feliz em ter acompanhado tudo isso. Acima a foto das Bicampeãs do Sesi Farroupilha.

0 comentários: